quarta-feira, 16 de março de 2016

Grupo de Estudos de Animais Selvagens promove atividades semanais

O veterinário Rodrigo Teixeira, conhecido como Dr. Selvagem devido ao programa veiculado pelo canal Animal Planet, foi o convidado do Grupo de Estudos de Animais Selvagens (Geas) nesta quarta-feira (09), na Cidade Universitária “Prof. Aldo Vannucchi”, para falar sobre o manejo de canídeos e felídeos brasileiros. O Geas promove encontros semanais com convidados para ampliar a abordagem de temas e a troca de experiências nas áreas de veterinária e biologia. As atividades são expositivas e práticas, realizadas sempre às quartas-feiras e divulgadas por meio da página “Geas Uniso”, no Facebook.
Em sua palestra, Teixeira dedicou a abertura aos canídeos, com destaque para o Lobo Guará, que está em risco de extinção. Aos interessados em conhecer a espécie, o veterinário informou haver uma família deles no Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”. “Sorocaba reproduziu duas ninhadas, uma com dois e outra com quadro filhotes. Hoje, temos oito lobos na região”, afirma.
Outras espécies foram abordadas, como Cachorro Selvagem, Raposinha do Campo, Graxaim do Campo, Cachorro do Mato de Orelha Curta, que estão mudando seus hábitos para se adaptar aos humanos. Por sua vez, Teixeira mencionou que há animais, como o Cachorro Vinagre, que encontram dificuldade em readaptar-se ou são acometidos por doenças de animais domésticos, o que contribui para o fim das espécies.
Ao explicar sobre os felídeos, Teixeira exibiu resgates de onças realizados na região e, em sua explanação, o destaque foi dado à Onça Parda, que, segundo o veterinário, está mudando de hábitos e se defende com mais agressividade do que outras espécies. Ele também citou a Onça Pintada e outros menos conhecidos, mas que estão presentes no Brasil, como o Gato do Maracajá, Gato Mourisco, Gato do Mato Pequeno, Jaguatirica, Gato Palheiro e Gato do Mato Grande.
Para Julia Vial Ronsani, 21, estudante do 3° período de Medicina Veterinária e membro do Geas, a palestra com Rodrigo Teixeira contribuiu pelo fato e explorar conteúdos específicos. Segundo ela, essas reuniões ajudam a criar um vínculo mais forte com matérias mais teóricas.


O Geas
O Grupo de Estudo de Animais Selvagens é organizado pelos cursos de Biologia e Medicina Veterinária, com núcleos presentes em universidades de todo o país. O objetivo é promover atividades com profissionais de ambas as áreas para passar suas experiências e tratar de matérias específicas com maior profundidade.
Na Uniso, as atividades são sempre às quartas-feiras, às 14h. Parte da programação é aberta ao público externo, com acesso gratuito e sem necessidade de inscrição antecipada. Mas, conforme explica Jéssica Loubaque, diretora de comunicação do Grupo, a partir deste semestre haverá eventos destinados apenas aos associados que se filiaram até o início de março. “Teremos atividades práticas de necropsia, taxidermia, anatomia e levantamento de fauna destinadas exclusivamente a associados”, explica.
Na próxima quarta-feira, dia 16 de março, o convidado será o médico veterinário Lorenzo Pissinatti que é mestre em Patologia Animal e ministrará conteúdo teórico e prático de “Necropsia em animais silvestres”. As atividades serão realizadas com mamíferos, aves e répteis e voltadas a associados. Além da página no Facebook, o grupo mantém perfil no Instagram (@Geasuniso) para divulgar suas ações.
______________________________________
Texto: Lauren Olivieiro, para Agência JOR/Uniso
Foto: Lucas Antônio, para Agência JOR/Uniso

1 comentários:

  • Anônimo says:
    22 de março de 2016 01:02

    Excelente conteudo precisamos de eventos desse tipo na CVU, poucos os cursos que se empenham em fazer algo parecido. Parabens.

Postar um comentário